1º Mostra Virtual
Exposição Individual
"Uma Homenagem a Rodin"

CURADORIA  DE VERA ITAJAÍ.

Esse é um desafio curatorial que foge da tradicional postura convencional.
Atualmente vivemos uma democratização da arte, e por necessidade pandemica covidiana, fugimos dos espaços expositivos convencionais, para espaços expositivos virtuaís, não menos elegantes. 

Nos trabalhos da artista Zulma Werneck  encontramos originalidade e evitamos a abordagem de associações cronológicas e estilísticas. Essa é uma curadoria bastante autoral, por que tbm sou Escultora.
Essa Exposição é uma Homenagem a Rodin, e aqui fugindo das apresentações tradicionais, essa Mostra apresenta Esculturas que pertencem a um estilo Contemporâneo, e a artista tbm intuitivamente cria a sua produção através do material como o Bronze. 

A artista trabalhou com o sentimento que carrega como uma esteta que é, e trouxe uma sensualidade que aflora em seu olhar profundo onde se conectam com a ludicidade da alma humana. 

Suas Esculturas nos remetem ao amor romantico e a paixões onde a natureza humana é imortalizada. Mesmo em algumas das esculturas aparentemente inacabadas ou desconstruidas,  ela nos sugere uma comunhão com o Sagrado e o Profano. Sem regras para o equilibrio e a simetria, as Obras se integram e interagem num mesmo bailado de movimentos dentro de um figurativo. Esse é o trabalho da artista Zulma Werneck, seu gosto pelas formas inacabadas e ao mesmo tempo maduras dentro da visão da arte na contemporaneidade. 

”Non finito”(Não acabado) Curiosamente Rodin se baseava nesse conceito.

A artista sempre se interessou em expandir seu contato com o publico, e essa Mostra em homenagem a Rodin traz um olhar panorâmico sobre a sua produção e apresenta várias faces de sua criação.

 Obs: Mesmo num espaço Virtual, não precisamos perder a AURA de um espaço expositivo elegante e sofisticado, Aqui foi trabalhado delicadamente as adaptações para as bases virtuais, para dar suporte às esculturas.

Texto de Vera Itajaí.

ZULMA WERNECK

Nasceu na cidade do Rio de Janeiro/ RJ em 23 de julho de 1950.

Formou-se em Ciências Sociais pelo IFCS/UFRJ, pósgraduando-se  pelo  Instituto  Universitário  de  Pesquisas  do Rio de Janeiro (IUPERJ) em  1979.

Frequentou o atelier livre de desenho de modelo vivo, com a Profa. Astréia El Jack, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, em 1985.

Em 2003/2004 cursou “Arteterapia em Educação e Saúde” na Universidade Cândido Mendes do RJ/RJ, como  extensão universitária.

Começou a expor suas esculturas em 1986 nas melhores galerias e lojas de decoração do Rio de Janeiro, tendo recebido inúmeros prêmios em salões e participado de conceituadas mostras e exposições: até o momento 28 exposições individuais e coletivas, além de 23 salões e mostras de arte.

Recebeu em 1991 e em 1992 homenagens da Câmara Municipal do RJ por seu ‘Destaque nas Artes Plásticas’.

Em 2009 passou a frequentar o atelier do artista José Luiz  Carlomagno, ampliando suas atividades para a pintura à óleo.

         Em 2010 ingressou na Academia Brasileira de Belas Artes, ocupando a Cadeira número 29 do Patrono Felix Emilio Taunay.

 De 2013 a 2019 frequentou o Atelier de Restauração de Obras de Arte em tela de Edna Schomblun, dedicando-se também a esse fazer.

Em 2014 teve sua inclusão no livro “Formas e Riscados”, com curadoria de Marly Faro, que homenageia artistas relevantes da atualidade que vivem e trabalham no Rio de Janeiro.

 Em 2015 retornou à Escola de Artes Visuais do Parque Lage, desta vez com o Prof. Luiz Ernesto, em “Questões Fundamentais da Pintura Contemporânea”, e com a curadora Luisa Duarte, em “Olhares sobre o Contemporâneo”. Ainda na EAV realizou com o Prof. Chico Cunha o curso “Construção, Conceito e Narrativa na Figura Pintada”. Neste mesmo ano participou de “Psicanálise e Arte”, na modalidade EAD, com André Abu Merhy e Paula Legey.

Inaugurou a retrospectiva de pinturas e esculturas, uma seleção de seus trabalhos do período 1986/2020, na Galeria de Arte Sala Djanira, em 11/03/2020. Poucos dias após, devido à COVID 19 a Galeria seria fechada por decreto da Prefeitura, assim permanecendo até os dias de hoje. A exposição será aberta à visitação pública pelo período de um mês quando houver segurança sanitária na cidade do RJ/RJ.