''Tempo e Essência''

.

A linha tênue entre dois tempos mágicos nos faz refletir… Crianças e idosos tem em comum: um sorriso solto, a liberdade, o tempo livre, a imaginação, o ar… Confundem-se pela inocência, misturam-se pela essência. São partes de nós. Fomos e somos crianças e seremos (se assim Deus permitir) idosos. crianças são inícios… Idosos também. Inícios que se complementam, inícios de novas vidas, novas etapas. Nos proporcionam sabedoria, cada um no seu tempo, ritmo, passo… Aprendemos com eles: com as expertices das crianças, o valor do sorrir do brincar e os idosos nos mostram a força e sabedoria do viver, do amar… Ensinam sobre as etapas da vida, sobre as histórias colhidas no vento e a calma do caminhar… Crianças são ansiosas, idosos não. A ansiedade se dilui com o tempo e transforma-se no presente, um dia por vez. O tempo ensina a andar com passos diários, sem pressa, em doses homeopáticas. E a criança, brinca de pula, pula com o presente, sem pensar no futuro ela abraça o presente com a alegria da alma. O idoso, lembra do passado e sorri com agora, e tal qual uma criança, não têm preocupações com o futuro. Que possamos amá-los no hoje! Abolindo a indiferença, aquela que agride, marca, que ofende, maltrata tanto crianças, quanto idosos… Que sejamos um só: com olhos curiosos, esperançosos e sabedoria de quem muito tem a ensinar. Cecília Meireles nos diz: […] Já não se morre de velhice/ nem de acidente/ nem de doença / mas, Senhor, só de indiferença. A criança se distrai brincando com o tempo e o idoso nos ensina (com a sabedoria de quem teve a companhia do tempo) a verdadeira essência da eternidade.

Autora: Sharelene Serra

.

DOE AQUI

''Quem me dera ''

.

Quem me dera
que todo
sangue
pela mulher jorrado
fosse apenas
o mestruado.

Autora: Sharlene Serra

.

Acesse Clicando na Imagem e Inscreva-se no Canal

''SANGUE JORRADO''

.

Mulheres
escondidas da mira
se contrariar, buuummmm
bala nada perdida
Mulher violentada
Trancafiada
liberdade de
asas cortadas
Mulher amordaçada

Sua voz chora!
soluça
sua determinação
pulsa.
Paz, venha, não demora
a morte quer abraça-la
por toda hora

A face maquiada
inerte
reflete no rio
escarlate

Ah! Quem me dera
que todo
sangue
pela mulher jorrado
fosse apenas
o mestruado.

Autora: Sharlene Serra

.

''SOU FRIDA''

.
Tenho memórias tatuadas nos pensamentos dos dias
Poemas gritam no silêncio
das noites entristecidas
Emudeço no medo
aceito pela vergonha do
Holocausto no amor
Sigo calada, camuflando a própria dor
as histórias escrevo com lágrimas sofridas
tinta vermelha de tonalidade
enfraquecida.

Amanheço no resgate
da força que vem do útero!
A coragem vence o medo
consigo ver luz no escuro.
a vida percorre a veia
me livrei da teia.
sou forte
Sou mulher!
Sou aguerrida!
Não me kahlo na dor
“Sou FRIDA”.
Autora: Sharlene Serra
.

ICASAA INSTITUTO CASA CULTURAL DE APOIO AO ARTISTA

ESPAÇO CULTURAL - ​RECANTO DO POETA