''O AMOR NÃO ESPERA''

.

Luana Spíndola,
O amor não tem hora marcada pra ser demonstrado.
Não se submete a uma fila de espera pra se comunicado, partilhado.
O amor não espera pra ser atendido em sua demanda de plenitude.
Flores, declarações, poesias, abraços, todo gesto de afeto é singular, único, especial, enlevado.
A expressar seu próprio significado..
Hoje não é data alusiva a natalício, mesversário, ou qualquer dia convencional, programado, planificado.
Hoje é um dia único.
Como todo dia deve ser experienciado.
Hj é dia de viver.
De imputar significado, de valorar o nosso ser e estar no mundo.
De amar.
Namorar.
Sorrir.
Apaziguar.
Orar.
Agradecer.
Sentir.
Acolher.
Verbalizar.
Libertar.
Viralizar.
Acalentar.
Disseminar.
Alegrar.
AMO VOCÊ.

Autor: Pietro Costa

.

DOE AQUI

''EMBATE''

.

Olhares divididos entre a apoteose lunar e os monstros de marfim que divisam o
horizonte.

Autor: Pietro Costa

.

Acesse Clicando na Imagem e Inscreva-se no Canal

''OS MUNDOS DE CLARICE''

.
A máquina de escrever pulsa
Nas teclas saltitantes e atrevidas
Parecem ter vida…
É a imaginação febril que desliza
No toque sutil da nicotina
Faz parte da rotina!
Instantes insaciáveis devoram linhas
Entre hiatos, monólogos e filosofias
Caminha nos desvãos
Das perspectivas entretidas.
E flutua e respira
Em polissíndetos e vírgulas
Ares existencialistas.
Busca confluências
A errática diva
Na verve indagativa
Faz-se Claríssima
Um olhar suspenso
Nos mistérios da vida.
Musa ou medusa?
O que parece?
Não sei afirmar
Mas embevece os olhos
E petrifica o olhar
Narrativa que desafia o ortodoxo
É peripécia, espanto e paradoxo.
Para Clarice e cada ser, um livro.
Qual foi o dela, erudito, incognoscível?
Ou, inexiste uma taxonomia ou requisito?
Para uma escritora de perfil tão subjetivo?
Perto de tal coração selvagem
Pulsos elétricos de curiosidade
No devir de sístoles e diástoles,
Mundos de inventadas verdades.
 
Autor: Pietro Costa
.

''A VOZ DA ALMA''

.
Há um mistério que em nós se esconde,
Que procura a paz e a calma
Não sei de onde vem,
Mas parece uma voz da alma.

Em meio a  correria
Somos tragados por um mar agitado
No desespero procuramos por boias
Com a mente em pânico e o coração apertado,

O coração é como um mar tranquilo
Que um forte vento  pode  agitar,
Quando isso acontece
A voz da alma diz, mergulhe!
Lá no fundo, o silêncio e a paz
Estão a te chamar.

 
Autor: Fernando Martins
.

ICASAA INSTITUTO CASA CULTURAL DE APOIO AO ARTISTA

ESPAÇO CULTURAL - ​RECANTO DO POETA